Guia Nutricional

O desmame
Tem início a partir da 5a e 6a semanas, indo até a 7a e 8a semanas, de forma gradativa, período onde ocorre o desmame comportamental.
Os filhotes começam a ter interesse em alimentos semi-sólidos por volta da 3a a 4a semana.

Alimentação pós desmame
Ração de filhote adicionada de água morna, ofertada em recipiente raso, no mínimo três vezes ao dia e removido 30 minutos após a oferta. A erupção dentária se inicia com 21 a 35 dias, mas os filhotinhos só estarão aptos a comer alimento sólido após os dois meses de idade.

Crescimento
Ocorre maior crescimento dos filhotes entre 3 a 6 meses de idade. Os cães de raça pequena atingem seu peso adulto entre os 9 a 10 meses de idade. Já os cães de raça grande a gigante possuem um período de crescimento mais longo, atingindo o peso adulto entre os 11 a 15 meses de idade. Esse crescimento é variável para cada raça e até mesmo para cada indivíduo e é importante que seja acompanhado o ganho de peso diário para que se possa reajustar a quantidade de ração. A curva de crescimento aumenta depois do nascimento, estabiliza se depois de alguns meses e diminui assim que o animal se aproxima da fase adulta.
A quantidade de ração fornecida ao cãozinho varia em função do peso atual, peso estipulado quando adulto, idade, nível de atividade física e quantidade de energia disponível no alimento. Por isso que essa fase rápida e intensa e que
representa um dos períodos fisiológicos mais importantes da vida do animal deve ser acompanhada de perto por um médico veterinário.
As raças de grande porte devem receber uma atenção maior em relação à velocidade de crescimento. Cães de grande porte que ingerem muitas calorias e crescem muito rápido podem apresentar vários problemas ósseos, decorrentes do crescimento exagerado, maior que o corpo consegue suportar. Cada raça possui uma curva de crescimento ideal, e é importante que isso seja respeitado para um crescimento saudável. Um filhote tem necessidades de nutrientes mais altas que um animal adulto, para atender suas necessidades de manutenção e para formação de novos tecidos. O sistema digestório do filhote não é totalmente hábil, apresentando uma redução na digestibilidade dos alimentos. Por isso, a ração deve ser de boa qualidade e deve ser oferecida no mínimo, três vezes ao dia, para não sobrecarregar o trato gastrointestinal e possibilitar melhor digestão.
Oferecendo uma ração completa e balanceada não há necessidade em adicionar nenhum outro tipo de alimento à refeição do filhote. A ração já contém todos os nutrientes que o filhotinho precisa não sendo necessário a suplementação de cálcio ou qualquer outro nutriente. Não é necessário oferecer leite de vaca! Por não ser da mesma espécie do cãozinho, a composição nutricional do leite difere do que o organismo dele precisaria e além disso, assim que os filhotes são desmamados, eles perdem a enzima lactase, que digere a lactose do leite, o que provoca diarreia, gases e cólicas intestinais quando ingerem o leite. Se já era ofertado um alimento e se deseja trocar, a troca tem que ser feita de maneira gradativa. Dessa forma:

1° e 2° dias: 75% da ração usual e 25% da ração nova
3° e 4° dias: 50% da ração usual e 50% da ração nova
5° e 6° dias: 25% da ração usual e 75% da ração nova
7° dia: 100% da ração nova